Preso a vontade de Deus

Preso a vontade de Deus

foto por: Bryan Garcia em Unsplash

Está claro para nós que a vontade de Deus era que Paulo testemunhasse sobre o evangelho tanto a grandes como a pequenos e que ele foi preso para poder testemunhar àqueles que detinham o poder, isto é: governadores, reis e o imperador.

Tinha Paulo cometido algum crime pelo qual deveria estar preso e condenado? Sabemos que não, pois o próprio Agripa fala sobre isso, mas porque Paulo tinha apelado para Cesar, ele deveria ser conduzido a este para julgamento, cumprindo assim a vontade de Deus e não ao que era correto e justo.

Em Atos, capítulo vinte e seis, no versículo trinta e dois, temos as palavras do rei Agripa: “Então, Agripa se dirigiu a Festo e disse: Este homem bem podia ser solto, se não tivesse apelado para César.” (Atos dos Apóstolos 26.32, BEARA).

Como devemos olhar estas coisas? Somente debaixo da vontade do Pai, pois se não compreendermos que Ele é soberano sobre tudo, que nos conduz na Sua vontade, que revelar o Seu reino e testemunhar com relação a salvação é o propósito de nossas vidas e que tudo que nos sobrevém é para que isto aconteça.

Não foi diferente com Paulo e não é conosco, pois temos que entender que nada tem valor, exceto que o reino de Deus seja revelado e proclamado às pessoas, fazendo a Sua vontade conhecida de todo ser humano.

Anúncios