No multiplicar da iniquidade

No multiplicar da iniquidade

foto por: Danica Markez em Unsplash

Iniquidade é pecado. Pecado é a expressão da corrupção humana revelada nos relacionamentos que desenvolvemos uns com os outros. Pecar não é transgredir um mandamento de Deus, mas sermos corruptos na forma de nos relacionarmos uns com os outros, pois quando nos relacionamos fora da fundamentação estabelecida por Deus, andamos segundo o pensamento natural, que é terreno, animal e demoníaco e que está estabelecido na busca do interesses individual, no se preservar e não no seguir o exemplo de Cristo e ser oferta em favor dos outros.

Jesus ensinando em Mateus, capítulo vinte e quatro, versículos doze e treze, afirma: “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo.” (Mateus 24.12-13, BEARA).

Pode o amor não esfriar? Sim, quando entendemos quem somos em Deus e qual o nosso chamado, pois quando nos submetemos a Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas, somos reconciliados com Ele e feito um novo ser, agora espiritual, criado segundo a Sua vontade, chamado para ser separado, para proclamar as Suas virtudes à todos.

Como filhos de Deus devemos andar neste mundo como imitadores de Cristo, amando como Ele, fazendo de nossas vidas a oferta em favor de todos, para que possam conhecer o Pai e a Sua vontade, e nos relacionarmos com as pessoas segundo as Suas virtudes e não conforme o egoísmo, orgulho e arrogância humana, pois se andarmos segundo as paixões humanas, o amor se esfriará, mas, se revelarmos o amor do Pai diante de todos, então faremos a diferença neste mundo.

Anúncios