A questão da porta

foto por: Evelyn Paris em Unsplash

Jesus ensinando, disse que a porta larga conduz à perdição e estreita à vida, por isso precisamos refletir sobre quais tem sido as nossas escolhas. Escolher a vida, querer conhecer a Deus e Sua vontade, implica em andarmos neste mundo fazendo escolhas que são contrárias ao que a natureza humana nos instiga, pois o pensamento natural é a semelhança do Diabo e sua maneira de agir.

Jesus falando sobre isso, no capítulo sete do evangelho de Mateus, nos versículos treze e quatorze afirma: “Entrai pela porta estreita (larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz para a perdição, e são muitos os que entram por ela), porque estreita é a porta, e apertado, o caminho que conduz para a vida, e são poucos os que acertam com ela.” (Mateus 7.13–14, BEARA).

E a porta que temos escolhido nos conduzirá ao tipo de fruto que produziremos, pois eles revelam as escolhas que temos feito e se andamos como Cristo ou como filhos deste mundo. Por isso é importante estarmos atentos aos frutos que produzimos, como está nos versículos dezoito e dezenove: “Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.” (Mateus 7.18–19, BEARA). E mais, o evangelho não se trata de chamar Jesus de Senhor, mas de fazer o que Ele fez e disse que era para fazermos, como está no versículo vinte e um:  “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 7.21, BEARA).

Que possamos aprender a fazer as escolhas que nos conduzem a revelar o Pai e não a nossa natureza humana que é terrena, animal e demoníaca e que não revela nosso Deus ao mundo. Temos e precisamos compreender que ao escolhermos a porta que conduz à vida, então revelaremos nosso Deus, praticaremos as Suas virtudes e seremos expressão da Sua vontade, revelando de forma plena o evangelho.

Anúncios