As coisas temporárias desta vida

As coisas temporárias desta vida

foto por: John Westrock em Unsplash

O nosso conceito de concreto e abstrato está equivocado, pois quando pensamos em concreto, raciocinamos quanto a poder tocar, é duravel e permanente; o abstrato é o que não tocamos e em nosso conceito, não duram e não permanecem. Pensando assim, esquecemos que as coisas deste mundo são na realidade temporárias, que não permanecem, já o que irá durar eternamente são os valores e ensinos eternos que provêm de nosso Deus.

Paulo escrevendo aos irmãos na primeira carta aos Coríntios, afirma no capítulo sete, do versículo vinte e nove ao trinta e um sobre a forma como devemos viver: “Isto, porém, vos digo, irmãos: o tempo se abrevia; o que resta é que não só os casados sejam como se o não fossem; mas também os que choram, como se não chorassem; e os que se alegram, como se não se alegrassem; e os que compram, como se nada possuíssem; e os que se utilizam do mundo, como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa.” (1Coríntios 7.29–31, BEARA).

A realidade que vivemos neste mundo é de fato abstrata e temporária e não definitiva, por isso, devemos usar as coisas deste mundo como algo temporário e não permanente. Precisamos aprender a olhar os valores eternos, que são importantes para o Reino de Deus e que O revela ao mundo, fazendo com que todos O conheçam. Temos que rejeitar e tirar o nosso coração das coisas desta vida e focarmos no que é importante: no que é eterno como as virtudes de nosso Deus que temos que proclamar ao mundo, realizando obras que glorificam o Seu nome.

Devemos e podemos usar do mundo, mas não colocar o nosso coração nas coisas temporárias desta vida, pois não nos conduzirá ao conhecimento do Pai e nem a experimentar da Sua vida eterna.