Não devemos ter outro tipo de comida

O nosso compromisso com Deus se revela nas nossas prioridades e no quanto nos importamos com a Sua vontade. Em João temos o exemplo de Jesus, no capítulo quatro, versículos trinta e quatro e trinta e cinco:

Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. Não dizeis vós que ainda há quatro meses até à ceifa? Eu, porém, vos digo: erguei os olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa.” (João 4.34–35 RA).

O quanto estamos comprometidos com Deus e a Sua vontade? O quanto consideramos a vontade do Pai e a temos buscado? Revelamos a nossa prioridade e o nosso compromisso nestes pequenos detalhes, pois se não temos sido incansáveis na busca do conhecimento de nosso Pai, não nos comprometendo com a Sua vontade, estamos longe de vivermos como imitadores de Cristo, talvez estejamos caminhando em direção contrária ao que deveríamos fazer, pois temos uma jornada para conhecer, revelando a verdade. Mas, se o que temos nos transformado é somente em sermos religiosos, podemos estar nos esquecendo do nosso chamado e do propósito que o Pai estabeleceu para nós.

Que possamos como Cristo, fazer da vontade do Pai a nossa comida e nos comprometermos em sermos luz no mundo e sal na terra, para que possamos ser instrumentos de reconciliação das pessoas com Deus, pois os campos estão brancos e a vontade do Pai é que destruamos todo tipo de fortaleza e barreiras que nos impedem de levar a Sua salvação a todos.

Ouça a mensagem no agregador de PODCAST de tua preferência:

CASTBOX, SPOTFY, DEEZER ou GOOGLE