Não vivemos para nós mesmos

Não vivemos para nós mesmos

foto por: David von Diemar em Unsplash

Entendermos que somos povo de Deus, Sua propriedade exclusiva, cidadãos do reino, Seus filhos, que não andamos neste mundo buscando os nossos interesses, mas a vontade Daquele que nos tirou das trevas, que somos um povo separado, não para andarmos para nós mesmos, mas para Aquele que morreu e ressuscitou, vivemos para o Senhor e para a Sua glória e não para defender os nossos interesses.

Paulo, na carta aos Romanos, capítulo quatorze, versículos sete e oito, fala sobre esta questão: “Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor.” (Romanos 14.7–8, BEARA).

O que nos leva a compreender que somos do Senhor e que vivemos para Ele? Assim como Paulo, precisamos estar plenamente compromissados com a vontade do Senhor, reconhecendo que somos prisioneiros Dele e da Sua vontade, pois ao experimentarmos da Sua graça, do Seu amor, da Sua obra em nosso favor, não temos outra opção que não nos colocarmos debaixo da Sua vontade, como um povo de Sua propriedade e separados para Ele, expressando toda a nossa gratidão por tudo que Ele fez por nós sem qualquer merecimento de nossa parte.