Perdidos na religiosidade

Perdidos na religiosidade

foto por: Jason Blackeye em Unsplash

Precisamos estar atentos ao que estamos dando foco, a direção de ensino que temos priorizado, onde queremos chegar e quais as motivações de nossos corações, para não enchê-lo de religiosidade e nos esquecermos da essência do ensino de Jesus.

Jesus falando aos religiosos em Mateus, capítulo quinze do versículo sete ao nove, afirma: “Hipócritas! Bem profetizou Isaías a vosso respeito, dizendo: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.” (Mateus 15.7–9, BEARA).

Quando focamos em doutrinas que são preceitos de homens, dando importância em ensinos e regras que não levam a mudança de consciência e ao entendimento da vontade de Deus, somos como guias cegos, conforme Jesus afirmou no versículo quatorze: “Deixai-os; são cegos, guias de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, cairão ambos no barranco.” (Mateus 15.14, BEARA).

Nos tornamos religiosos, quando queremos controlar a aparência, impondo regras às pessoas, como se essas fossem condições para a salvação, o andar com Deus. Temos e precisamos compreender que há um chamado para revelarmos o Reino, como peregrinos neste mundo, que não podemos nos prender em coisas que não expressam e nem revelam o Pai. Tudo que não conduz à mudança de consciência, a transformação do entendimento, são coisas de homens e que não nos levam a verdadeira adoração e a expressão do Pai, por isso, não podemos ficar perdidos em religiosidades, mas precisamos conhecer a vontade do Senhor.

Anúncios