Rejeitando as obras falsas

Quem foram os nicolaítas, talvez não saibamos, mas podemos, pela comparação em outro trecho que se refere a mesma atitude de Balaão que, de forma corrupta e mediante propina, tentou jogar uma maldição sobre o povo de Israel a pedido de um rei. Temos que entender que se trata mais de uma atitude que negam as obras segundo o fundamento ensinado por Cristo, que tem o espírito de corrupção que procura desviar para heresias e a introdução de ensinos que nada a tem a ver com Cristo e o Seu reino, mas que traduz religiosidade e pensamento natural.

Não podemos ser condizentes com obras que levam o afastamento das pessoas do ensino que expressa o amor e o compromisso com Deus e que se fundamente no conhecimento Dele e Sua vontade, para sermos expressão do Seu reino neste mundo.