Agindo como os discípulos

Agindo como os discípulos

foto por: Wolfgang Hasselmann em Unsplash

Muitas vezes em nossa jornada, não somos diferentes dos discípulos, como podemos ler em Mateus, capítulo quinze, versículos vinte e dois e vinte e três:

Certa mulher cananéia, que morava naquela terra, chegou perto dele e gritou: — Senhor, Filho de Davi, tenha pena de mim! A minha filha está horrivelmente dominada por um demônio! Mas Jesus não respondeu nada. Então os discípulos chegaram perto dele e disseram: — Mande essa mulher embora, pois ela está vindo atrás de nós, fazendo muito barulho!” (Mateus 15.22–23, NTLHE).

Ela tinha uma dor, sofria por causa do problema de sua filha e mesmo sendo de outra etnia, não deixou de pedir socorro e ajuda a Aquele que cria poder trazer-lhe o alívio. Fez com persistência e diante de tanto clamor o que fizeram os discípulos? Se sentiram incomodados com o barulho que ela fazia e queriam dar um jeito de calar aquela mulher barulhenta e não revelaram compaixão.

Será que não temos agido como eles? Muitas vezes queremos nos livrar das pessoas e de seus problemas, mas não expressamos qualquer ação de compaixão, misericórdia e graça. Temos que aprender a seguir o modelo de Cristo e aprendermos a agir em favor das pessoas, trazendo-lhes alívio para a sua dor e sofrimento.

Viver como Cristo implica em expressarmos as virtudes de nosso Deus em nossos relacionamentos e não simplesmente em querermos nos livrar do que está nos incomodando.