Entre a necedade e a prudência

Entre a necedade e a prudência

foto por: Guilherme Stecanella em Unsplash

Ser néscio, estúpido, agir por ignorância não nos conduzirá na vontade de Deus e agimos assim, quando compreendemos que devemos ser prudentes diante das coisas relacionadas ao reino de Deus, que devemos buscar a Sua vontade, compreender o Seu querer e continuamos a agir como desnecessários. Levarmos as coisas de Deus a sério e extremamente importante para que não vivamos de forma néscia.

Jesus contando uma história sobre dez virgens, em Mateus vinte e cinco, versículos um e dois, afirma: “Então, o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram a encontrar-se com o noivo. Cinco dentre elas eram néscias, e cinco, prudentes.” (Mateus 25.1–2, BEARA)

As néscias ao ouvirem que o seu senhor está voltando e vendo que não estavam prontas, pedem que as prudentes lhes deem de seu azeite, como está no versículo oito: “E as néscias disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão-se apagando.” (Mateus 25.8, BEARA).

E o que lhes responde as prudentes, no versículo nove? “Mas as prudentes responderam: Não, para que não nos falte a nós e a vós outras! Ide, antes, aos que o vendem e comprai-o.” (Mateus 25.9, BEARA). Elas saíram a comprar, mas quando voltaram o seu senhor já havia chegado e lhes nega conhecer, como podemos ler do versículo onze ao treze: “Mais tarde, chegaram as virgens néscias, clamando: Senhor, senhor, abre-nos a porta! Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora.” (Mateus 25.11–13, BEARA).

Como temos sido diante do Senhor? E quanto a Sua volta? Estamos sempre prontos, somos como os sábios ou temos agido com necedade? Precisamos ser sábios, remir o tempo, estarmos prontos, com a casa sempre pronta, andando como servos fiéis, ajudando e edificando a igreja como é da vontade do Pai, para não sermos imprudentes e néscios diante do trono da graça.

Anúncios