Conhecer a Deus e andar nas trevas

Não podemos usar de meias verdades, ou somente pensar sobre um determinado aspecto; mas todo o contexto para que possamos amadurecer, crescer e honrar a Deus como ele é merecedor. Precisamos ter o significado do que seja andar nas trevas e não na luz; pois se não tivermos este entendimento permaneceremos fora do propósito de Deus quanto ao amadurecimento.

João em sua carta escreve sobre estes aspectos e a seguir algumas passagens para refletirmos sobre as nossas vidas: “o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo.” (1 João 1:3). “Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade.” (1 João 1:6). “Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos.Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade.” (1 João 2:3-4, BEARA)

Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos.” (1 João 2:11). “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele;porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo.Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente.” (1 João 2:15-17).

Como podemos afirmar que conhecemos a Deus? Por lermos a bíblia e sabermos de todos os versículos e onde está cada passagem? É conhecimento teórico? Não, o conhecimento de Deus é demonstrado pelas nossas ações, nossas atitudes, pelo que fazemos.

A verdadeira expressão de amor a Deus e o conhecimento de Deus é revelado quando cumprimos, quando obedecemos os seus mandamentos. Mas qual o segredo de obedecer os mandamentos? Isto que precisamos entender. Fomos libertos do poder do pecado que nos escravizava. Jesus em sua morte na cruz, trouxe libertação. Ao nos submetermos a Cristo como Senhor e Salvador, ao nascermos de novo, por entregarmos as nossas vidas a ele para cumprir o seu desejo e vontade, recebemos de Deus a vida. E ao recebemos da vida de Deus, não só fomos libertos, mas também, capacitados a viver segundo o coração, segundo a natureza de Deus. Isto que precisamos entender, não é uma questão de obedecer para ter, mas viver, cumprir por ser. Obedecemos os mandamentos de Deus porque recebemos da vida de Deus. E ao cumprirmos, ou seja, andarmos segundo a sua natureza, nós revelamos, não só o conhecimento de Deus, mas andamos na luz. Andar na luz é andar segundo a vida de Deus.

Quando andamos segundo o pensamento do mundo, cheios de toda cobiça, egoísmo, sem domínio próprio, fazendo o que é do nosso interesse; então andamos segundo o curso deste mundo e por andarmos assim, estamos em trevas, ou seja, ainda não entendemos a vida de Deus que nos é concedida em Cristo Jesus. Outro fator importante que precisamos entender é a questão da justificação e da santificação. Justificação é o ato que Jesus fez por nós, para nos reconciliar com Deus. Não precisamos fazer nada pelas nossas forças, é nos concedido gratuitamente, quando nos submetemos a Jesus. A santificação é um processo que temos que começar quando nascemos de novo. Este processo de santificação implica em fazermos morrer a natureza humana, ou seja, rejeitar tudo que provém do pensamento do mundo, da nossa forma egoísta, imatura de vivermos, e ao rejitarmos preenchemos com as atitudes de Deus, deixamos o Seu caráter, que nos foi concedido no novo nascimento se revelar, para andarmos agora, segundo a vida de Deus.

Por isso quando João escreveu que quem não ama o irmão, ainda está em trevas, é sobre isso que ele está falando. Não dá para dizer que conhece a Deus, que ama a Deus e odiar ao irmão, ter inveja, ter cobiça, sermos egoístas, arrogantes e prepotentes.

Nada que faz parte do mundo, faz parte da vida de Deus. Se priorizamos as coisas do mundo, deixamos para segundo plano o que é do reino. Quando fazemos assim é porque não entendemos a vida de Deus e o seu propósito para nós.

Conhecer Deus e andar nas trevas são atitudes contraditórias. Só posso demonstrar que conheço a Deus quando ando na luz, ou seja, quando a minha vida expressa a vida de Deus, melhor, quando somos semelhanes, quando somos imitadores de Deus como filhos amados.

About these ads