Tomados da plenitude de Deus

“e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus.” (Efésios 3:17-19, RA Strong)

Se não compreendermos quem somos, o que recebemos de Deus, de maneira alguma poderemos viver a sua vontade de forma plena, de maneira a cumprir o nosso papel neste mundo. Com o entendimento correto, com a compreensão da obra e do propósito de Deus, então poderemos concentrar os nossos esforços e a nossa energia no que seja importante para o reino de Deus.

A vontade do Pai é que sejamos tomados de toda a sua plenitude; mas o que é estar cheio daquilo que Deus é? O que de fato Deus é e deseja que sejamos e revelemos neste mundo?

O aspecto mais importante que precisamos compreender é que somos filhos. Por sermos filhos, devemos, então, revelar a mesma natureza, o mesmo caráter daquele que nos deu vida. Esta é a base de nossa vida. Precisamos entender que a salvação de nossa alma, o novo nascimento, o tornar se filho, não é um fim em si mesmo. Ou seja, não termina ai; muito ao contrário, representa o início de uma carreira, o começo de uma jornada. Quando nascemos de novo, somos feito homens e mulheres espírituais, nascemos do espírito, para viver agora debaixo do dirigir de nossas vidas pelo espírito; não andamos mais pela alma, ou pelo atendimento dos desejos e vontade da carne, mas é restaurada em nossas vidas o propósito de Deus; que é sermos espirituais e termos as nossas vidas dirigidas pelo espírito. No novo nascimento, o nosso espírito, através do sangue de Jesus, tem restaurada a comunhão com o Pai, e através do Espírito, o nosso espírito é orientado em toda a vontade do Senhor. Mas, somos ainda crianças, e como crianças em Cristo, agimos, ainda muito como carnais. Precisamos iniciar uma jornada de amadurecimento e crescimento.

E nessa jornada, aprendemos a deixar as coisas da carne, e passamos a andar pelo espírito realizando a vontde de Deus que nos deu o Espírito Santo que nos ensina todas as coisas que procedem do coração do Pai. Aprendemos a morrer para nós mesmos, e a viver segundo o caráter de nosso Deus. E, por isso, compreendemos as palavras do Senhor, quanto a tomar a cruz e seguí-lo.

Quando nos colocamos em seguir o desejo do Pai de morrer para nós, para os desejos de nossa carne; e deixarmos o Espírito de Deus, nos guiar, aprenderemos sobre aquilo que é o nosso Deus e o nosso papel como filhos, que é revelar a sua natureza aos homens. Existimos unicamente para revelar esta natureza e o seu caráter. Qualquer coisa diferente disto, precisamos fazer morrer; e fazemos morrer, não porque damos conta, mas porque fomos libertos do poder do pecado e recebemos tudo que precisamos para viver segundo o coração do Pai. Por isso, atitudes da carne (frutos), como: “As coisas que a natureza humana produz são bem conhecidas. Elas são: a imoralidade sexual, a impureza, as ações indecentes, a adoração de ídolos, as feitiçarias, as inimizades, as brigas, as ciumeiras, os acessos de raiva, a ambição egoísta, a desunião, as divisões, as invejas, as bebedeiras, as farras e outras coisas parecidas com essas. Repito o que já disse: os que fazem essas coisas não receberão o Reino de Deus.” (Gálatas 5:19-21, NTLH). Quando fazemos morrer tudo isso, então aprendemos a deixar de viver para nós, segundo a natureza que tínhamos e passamos a andar no Espírito, então manifestaremos os frutos do Espírito que são: “Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio. E contra essas coisas não existe lei.” (Gálatas 5:22-23, NTLH).

Quando deixamos as nossas vidas serem guiadas pelo Espírito, fazendo morrer a natureza humana, então seremos tomados de toda a plenitude de Deus, conheceremos o seu amor, e revelaremos ao mundo o que é o nosso Deus, por isso “As pessoas que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a natureza humana delas, junto com todas as paixões e desejos dessa natureza.” (Gálatas 5:24, NTLH). Se queremos viver uma vida que agrada a Deus, revelando a sua natureza, sendo luz e sal, então: “Que o Espírito de Deus, que nos deu a vida, controle também a nossa vida!” (Gálatas 5:25, NTLH).